Categoria: Programa Conversando sobre Contabilidade

Como contabilizar um leasing - arrendamento mercantil

No programa Conversando sobre Contabilidade desta semana, 11/7, o Contador e Professor Salézio Dagostim explica como se contabiliza um leasing – arrendamento mercantil. Registra, ainda, que o CFC, ao contrariar a Lei 6.099/74, prega a desobediência civil, e que, ao desconsiderar o direito de propriedade para classificar um ativo, procura introduzir na contabilidade, de forma ilegal, uma doutrina comunista, já que este regime não aceita que a propriedade fique na mão de particulares.

 

O Contador registra os "atos e fatos" contábeis ou somente os "fatos"?

No programa Conversando sobre Contabilidade desta semana, 20/6, o Contador e Professor Salézio Dagostim responde ao questionamento acima, afirmando que se “ato” é aquilo que se faz através da manifestação da vontade e “fato” é a consequência pelo “ato” praticado (considerando que o art. 1.184 do Código Civil estabelece que, no diário, serão lançadas todas as operações relativas ao exercício da empresa), então o “ato” e o “fato” se complementam, andam juntos, pois todo “ato” tem um “fato” correspondente, uma consequência. Se comprar mercadorias é um ato, o fato é a consequência desta compra. Se foi efetuado em dinheiro, diminui o “caixa”; se foi a prazo, aumenta as dívidas. Assim, para este registro ficar completo, o contador deve registrar o “ato” e o “fato” da operação, onde o “ato” representa o “débito”, que corresponde àquilo que foi realizado, adquirido, comprado ou obtido, e o “crédito” diz como o “débito” foi incorporado ao patrimônio.

Dagostim disse também que esta confusão ocorre porque quando o contador examina as variações patrimoniais, ele examina as consequências geradas no patrimônio pelo ato realizado, se permutativo ou motificativo, e, estas consequências representam sempre o “fato” da ação. Disse, ainda, que o “ato” contábil altera o patrimônio enquanto que o “ato” administrativo não. Afirmou que ele acompanha o estudo do saudoso Professor Olivio Koliver, que afirma que não existe fato MISTO. Todo fato misto é um fato modificativo.

 

Como se transmite o SPED Contábil para a Receita Federal

No programa Conversando sobre Contabilidade desta semana, 18/4, o Contador e Professor Salézio Dagostim, ao responder um questionamento sobre SPED Contábil, registra que os contadores devem se preocupar com as obrigações acessórias impostas pelos órgãos públicos na hora de apresentar a sua proposta de honorários profissionais. São muitas as obrigações, e, caso não cumpridas, acarretam multas elevadas.

 

Conceito de Ativo segundo a Estrutura Conceitual

No programa Conversando sobre Contabilidade desta semana, 24/1, o Professor Contador Salézio Dagostim discorre sobre o conceito de Ativo constante na Estrutura Conceitual aprovada pelo Conselho Federal de Contabilidade, Resolução 2019/NBC TG de 21/11/2019, DOU de 13/12/2019. Para Dagostim, o conceito de Ativo inserido nesta Resolução fere o princípio da Propriedade contido na legislação brasileira.

 

Retrospectiva sobre a atuação estadual em 2020 e perspectiva para o planejamento no início de ano

Na entrevista concedida ao programa Economia & Desenvolvimento desta semana, 20/12, o Presidente do Sindiconta, Contador Giovani Dagostim, fez uma breve retrospectiva sobre o governo estadual do RS em 2020 quanto a assunto de Tributação que envolve a classe, além de projetar a importância dos contadores e contadoras no auxílio à gestão das empresas no período pós-pandemia.

 

Sugestão de medidas para resolver o problema da não realização do 2º Exame de Suficiência de 2020

No programa Conversando sobre Contabilidade desta semana, 22/11, o Professor Contador Salézio Dagostim sugere ao CFC a aprovação de uma Resolução para que o Exame de Suficiência do 2º semestre de 2020 seja realizado pelos Conselhos Regionais, de forma independente, como uma medida extraordinária, para resolver o problema gerado em função da não realização do exame.

Dagostim sugere, ainda, que o CFC busque junto ao Ministério da Educação meios legais para que o referido exame seja aplicado nas instituições de ensino, como condição para a conclusão do curso de Ciências Contábeis, e que seja regulado pelo CFC, como determina a lei.